Site Overlay

Como meditar: 6 técnicas de meditação para acalmar a mente e se conectar com você

Como meditar: 6 técnicas de meditação para acalmar a mente e se conectar com você

Como meditar: 6 técnicas de meditação para acalmar a mente e se conectar com você

4.5 / 5 ( 2 votes )

 

  |  Tempo de leitura: 10 minutos

Você sabe como meditar de forma correta?

Não há, de fato, um segredo para fazer meditação. Mas, existem algumas direções para que essa técnica de conexão com o seu eu interior seja bem aproveitada. Também existem diversas técnicas meditativas que visam objetivos diferentes.

Para quem está encontrando dificuldades e quer iniciar a prática, mudar de técnica pode ser a solução.

Entenda mais neste artigo e veja a que mais funciona para você!

O que é meditação?

Meditação é uma prática de conexão consigo mesmo. À medida que o indivíduo mergulha em seu próprio silêncio, a mente se acalma e o corpo relaxa. Esse estado de tranquilidade plena é alcançado através da focalização da atenção.

A meditação objetiva o contato com o “eu” interior, livre de censuras, as quais normalmente são alimentadas por crenças e pressões sociais. Os benefícios são sentidos de diferentes formas: redução da ansiedade e do estresse, melhora na qualidade do sono, maior concentração e foco durante o dia, aproveitamento do momento presente e aprimoramento na gestão de emoções.

Quando você aprende como meditar corretamente, logo percebe que os acontecimentos não atingem o seu emocional como antes. Situações desagradáveis não deixaram de ser assim, mas você não se conecta com as emoções negativas e impede que elas afetem a sua saúde mentalEssa é uma habilidade que surge naturalmente com a recorrência da meditação.

Como meditar? Dicas para iniciantes

Muitas das reclamações de iniciantes que não sabem como meditar estão relacionadas à inabilidade de se acalmar e “não pensar em nada”. Embora essa característica seja popularmente associada à meditação, não é, de fato, o objetivo principal da prática.

Muito provavelmente, as pessoas que não conseguem relaxar o suficiente para silenciar a mente o fazem com os objetivos errados.

Os pensamentos continuam a fluir durante os minutos de silêncio. O praticante deve somente deixá-los passar por ele, sem se envolver. A desconexão com eles acontece de forma gradual e, sobretudo, involuntária.

Aos poucos, você consegue se desligar daquele pensamento de “preciso terminar as pendências do dia e não tenho tempo para ficar parado” que atrapalha o aproveitamento da meditação.

O importante é não se pressionar para não pensar em nada e sentir-se mal caso não consiga nas primeiras tentativas.

Não estamos acostumados com esses períodos agradáveis de silêncio, portanto, é normal não conseguir se desligar da realidade no começo.

Em seguida, veja outras dicas para começar a meditar:

Reserve um momento para praticar e entender como meditar

O período da manhã costuma ser o ideal, pois é uma forma de se preparar para encarar o dia. Já à noite, você pode usar a meditação para dormir melhor. No entanto, você pode determinar o momento que se encaixa melhor em sua rotina diária.

Medite por um curto período

Um dos maiores equívocos de iniciantes é querer começar a meditar por 30 minutos seguidos. Se você nunca meditou, é provável que não consiga silenciar a mente nem por cinco minutos.

Iniciantes podem começar a meditar por somente três minutos e alongar a duração da prática à medida que se sentem confortáveis.

Para aproveitar a totalidade dos benefícios, o ideal é fazer meditação entre 15 a 20 minutos. Mas, no início, faça no seu tempo.

Encontre um local tranquilo

O ambiente da meditação deve ser calmo e livre de distrações como sons altos ou conversas paralelas. O seu quarto pode ser o seu refúgio para tranquilizar a mente, bem como o jardim ou a varanda da casa.

Para promover o relaxamento, você pode usar velas aromáticas, incenso ou ouvir música própria para meditação ou até apostar na meditação guiada, sobre a qual falaremos em breve.

Foque na respiração profunda

A respiração é um dos principais elementos da meditação. É através dela que as pessoas aprendem como meditar. Respirar profundamente envolve inalar o ar com a barriga e o tórax, expirando lentamente. Para ajudar nesse processo, segure o ar entre três a cinco segundos antes de exalar. 

Observe os pensamentos

Como meditar: 6 técnicas de meditação para acalmar a mente e se conectar com você

Deixe as preocupações com a família, emprego, relacionamento, filhos e amigos passarem por você. Coloque-se na posição de observador e não se apegue a elas.

A tentação de raciocinar cada pensamento pode ser grande no início. Você ainda pode sentir-se ligeiramente estressado no fim da meditação, mas tudo bem. Tente novamente até conseguir se desapegar.

Busque uma postura confortável

Você não precisa necessariamente começar a meditar com a postura “típica”, de pernas cruzadas, a qual circula pela internet. Sentar-se no chão com as pernas esticadas ou em uma cadeira pode ser mais confortável para quem está aprendendo como meditar.

O elemento mais importante é a coluna ereta. Por isso, nas primeiras tentativas, mantenha as costas contra a parede ou o encosto da cadeira.

Saiba como meditar: seis técnicas para começar

Como mencionado anteriormente, existem muitas técnicas para aprender como meditar. Todas promovem o relaxamento e a redução do estresse, mas a melhor opção para você depende, acima de tudo, de seus objetivos pessoais.

Por exemplo, você pode estar procurando fortalecer qualidades, ter maior domínio sobre os seus pensamentos ou estimular a criatividade. Para cada intenção, existe uma técnica própria. Basta você experimentar até encontrar a mais adequada para as suas necessidades.

Meditação Mindfulness

Ao contrário da técnica anterior, a mindfulness tem como objetivo focar-se em todos os aspectos externos e internos da experiência meditativa. Podem ser pensamentos, sentimentos, memórias, sensações, entre outros. Esta prática, porém, é feita sem apego ou julgamento. O praticante aceita as percepções como são, sem posicionar-se contra ou a favor delas.

É uma meditação muito boa para quem deseja voltar o foco para o momento presente. Se você sente que passa muito tempo pensando no futuro, deslumbrando-se com pensamentos sobre vitórias ou fracassos que não aconteceram, esta prática é perfeita para os seus objetivos.

Meditação guiada

meditação guiada é perfeita para os iniciantes incapazes de relaxar e clarear a mente. Pessoas ansiosas normalmente têm mais dificuldade para meditar e perdem o interesse na prática após falharem nas primeiras tentativas.

Assim como o nome diz, essa meditação guia o praticante para o estado de conexão interior por meio de orientações, histórias e práticas de visualização.

Possui uma duração limite, possibilitando que o praticante saiba quando terminar a prática sem ficar preocupado com os minutos que se passaram.

Meditação com afirmações positivas

Afirmações positivas são frases com significados positivos que são repetidas inúmeras vezes para fortalecer determinado pensamento. Por exemplo: as afirmações para elevar a autoestima ensinam a importância do amor-próprio, de valorizar atributos, seguir a sua intuição e se respeitar como indivíduo.

Como meditar: 6 técnicas de meditação para acalmar a mente e se conectar com você

São frases como “Respeito a minha individualidade e me valorizo como sou” ou “Eu mereço todo o amor que sinto por mim”.

Elas são absorvidas pelo inconsciente e expressas por meio dos nossos comportamentos e ações. Como trabalham de forma silenciosa, você pode não sentir os benefícios das afirmações a princípio, então é importante manter a prática por certo tempo.

Quando realizadas em conjunto com a meditação, o efeito é ainda maior, pois possuem acesso direto à sua mente livre de barreiras.

Meditação com atenção focada

Esta prática consiste em focar a atenção em um único objeto (concreto ou não) durante toda a meditação. Ele pode ser a respiração, um mantra, uma parte do corpo ou algo do ambiente externo, como um quadro ou um vaso decorativo.

Com a prática recorrente, o praticante melhora a sua habilidade de concentração e consegue manter o foco no objeto por mais tempo. Para quem busca levar uma vida mais centrada e controlar a ansiedade, essa meditação é a mais recomendada.

Meditação Zen

A meditação zen, também conhecida como meditação zen budista ou meditação zazen, consiste na aceitação da sua própria natureza.

Você aceita o momento presente, a realidade ao seu redor, a sua personalidade, a sua família, o seu trabalho… Enfim, todos os elementos da sua vida como são. Assim, se liberta das ilusões criadas por percepções próprias ou alheias.

Um conflito familiar que acontece em sua própria casa, por exemplo, fará com que cada pessoa interprete o acontecimento com base em suas opiniões, personalidade e visão de mundo.

Ou seja, a interpretação é um tanto tendenciosa. A contemplação promovida por esta prática meditativa nos ajuda a ver a realidade crua nas situações da vida.

Meditação Metta ou Do amor incondicional 

Esta meditação budista pode ser muito bacana para quem quer aprender como meditar!

Ela é voltada para a resolução de conflitos interpessoais. Por meio de oito frases direcionadas à pessoa com quem se tem desavença, o praticante trabalha o ato de perdoar e a enxerga como um semelhante, repleto de defeitos e qualidades, não como um inimigo. Assim, você se liberta de implicâncias.

As frases abaixo devem ser repetidas ao longo da duração da prática, substituindo o “___” pelo nome da pessoa com quem se deseja trabalhar o relacionamento:

  1. Que ____ seja feliz.
  2. Que ____ não sofra.
  3. Que ____ encontre as verdadeiras causas da felicidade.
  4. Que ____ supere as causas do sofrimento.
  5. Que ____ supere toda ignorância, carma negativo e negatividades.
  6. Que ____ tenha lucidez.
  7. Que ____ tenha a capacidade de trazer benefício aos seres.
  8. Que ____ encontre nisso a sua felicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *