Insuficiência cardíaca: quando a “bomba” decide parar - Saúde e bem estar
Site Overlay

Insuficiência cardíaca: quando a “bomba” decide parar

Insuficiência cardíaca: quando a “bomba” decide parar

A insuficiência cardíaca é uma condição que pode ser causada por muitos fatores. Não é uma doença, mas sim uma síndrome que ocorre quando o coração não bombeia sangue para o corpo de forma eficiente.

Imagem: iStock

A causa mais comum de insuficiência cardíaca é a doença arterial coronariana. Outras causas incluem cardiomiopatia e cardiopatia congênita.

Depois de décadas de trabalho estressante, o coração pediu uma pausa. Ele fez de tudo para que o sangue se distribuísse pelo corpo: acelerou os batimentos, ficou mais forte, até ganhou volume (…) Mas nada deu resultado. Na prática, isso significa que o fôlego se esgotou em uma caminhada mais intensa até a esquina. Literalmente!

Essa novela, que pode acabar em colapso de órgãos, se desenrola todos os dias no peito de 6 milhões de brasileiros. Eles são o sofá e estão morrendo.

A síndrome foi identificada pela primeira vez como um grande problema de saúde pública em 1997, quando se estimava que havia cerca de 12 casos por 1 milhão de pessoas por ano. Em 2009, a estimativa aumentou para 25 casos por 1 milhão de pessoas por ano.

Em 2015, estimou-se que havia cerca de 75 casos por 1 milhão de pessoas por ano.

Se esta cena não lhe é estranha ou se conhece alguém que vive esses sintomas diariamente, fique atento aos sinais de insuficiência cardíaca, descritos a seguir.

Vamos falar sobre insuficiência cardíaca!

Imagem de divulgação: encolombia.com

A insuficiência cardíaca é uma síndrome clínica complexa resultante de uma anormalidade estrutural e/ou funcional que faz com que o coração deixe de bombear sangue de forma eficaz. Afeta cerca de 7,9 milhões de pessoas somente nos Estados Unidos e é a principal causa de hospitalização em pacientes com mais de 65 anos.

A insuficiência cardíaca é caracterizada por sintomas como falta de ar, fadiga, dor no peito, náuseas, desmaios ou tonturas. Os sintomas podem variar dependendo da gravidade da insuficiência cardíaca e sua causa subjacente.

A insuficiência cardíaca é uma síndrome clínica complexa que resulta de uma anormalidade estrutural e/ou funcional que faz com que o coração dilate, enfraqueça ou pare de funcionar.

A insuficiência cardíaca é a principal causa de morte nos Estados Unidos. Tem sido dito que a IC é responsável por mais de um terço de todas as mortes em adultos com mais de 45 anos.

A insuficiência cardíaca pode ser fatal se não for diagnosticada e tratada adequadamente. Existem muitos fatores que contribuem para a IC, incluindo hipertensão arterial, diabetes mellitus, doença renal crônica, cardiomiopatia e doença arterial coronariana, entre outros.

Caracteriza-se por sintomas típicos (como dispneia, edema de membros inferiores ou fadiga) que podem ser acompanhados de sinais (como pressão venosa jugular elevada, crepitações pulmonares e edema periférico). Embora a definição abranja apenas estágios em que os sintomas clínicos são aparentes, os pacientes podem apresentar anormalidades cardíacas funcionais e/ou estruturais assintomáticas.

A dispneia é um sintoma de insuficiência cardíaca congestiva. A condição pode ser acompanhada por sinais como tosse, chiado no peito e falta de ar.

As alterações hemodinâmicas comumente encontradas na IC estão relacionadas à resposta inadequada do débito cardíaco e ao aumento do débito cardíaco.

As alterações hemodinâmicas durante a IC são decorrentes da incapacidade do coração de responder adequadamente ao aumento da carga de trabalho.

QUAL O IMPACTO DESSA DOENÇA NO NOSSO DIA-A-DIA?

Estima-se que a síndrome da insuficiência cardíaca afete cerca de 23 milhões de pessoas em todo o mundo com taxas de incidência e prevalência. A doença causa insuficiência respiratória, insuficiência cardíaca e comprometimento neurocognitivo.

Os sintomas mais comuns da síndrome de IC são dispneia (falta de ar), ortopneia (respiração superficial), fadiga/letargia, perda de peso/caquexia (definhamento), febre/calafrios, dor no peito ou aperto no peito ao esforço ou inspiração.

A IC é uma doença sistêmica que pode afetar o coração, pulmões e outros órgãos. Causa falta de ar, fadiga, dor no peito e tontura. A etiologia da IC é diversa e pode variar em termos de prevalência dependendo da região considerada. Em geral, qualquer pessoa que tenha tido um episódio anterior de IC ou tenha fatores de risco para desenvolver IC deve ser rastreada para isso pelo menos uma vez na vida usando um teste de ECG ou ecocardiograma.

Em geral, qualquer pessoa que tenha tido um episódio anterior de IC ou tenha fatores de risco para desenvolver IC deve ser rastreada para isso pelo menos.

Embora não haja uma classificação etiológica específica, podemos dividi-los em três mecanismos principais: doenças que acometem o miocárdio, condições de sobrecarga anormal e arritmias. A principal causa de IC é a cardiopatia isquêmica, responsável por aproximadamente 60 a 75% dos casos. Em nosso país, as cinco principais etiologias relacionadas à IC são: cardiopatia isquêmica, hipertensão arterial, valvopatia, cardiomiopatia tóxica (por exemplo, cardiomiopatia associada ao uso de quimioterápicos) e doença de Chagas. Outros fatores de risco associados ao desenvolvimento de IC são diabetes, obesidade, tabagismo, infecções virais, exposição a toxinas, consumo excessivo de álcool, entre outros.

SOBRE AS CAUSAS DA INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

O coração é o órgão mais importante do corpo humano e é responsável por bombear o sangue para todas as partes do corpo. O coração tem duas câmaras – átrio esquerdo e átrio direito, que são separados por uma partição chamada septo.

O coração é composto por quatro músculos principais –

músculo aórtico,

músculo carotídeo,

músculo da válvula pulmonar,

músculo septal. Cada um desses músculos está ligado ao septo.

Qualquer situação que faça com que o músculo cardíaco perca força resultará em insuficiência cardíaca.

Infarto agudo do miocárdio

A principal causa de insuficiência cardíaca é a isquemia cardíaca ou infarto do miocárdio. As causas mais comuns de isquemia cardíaca são doença arterial coronariana, fibrilação atrial e doença cardíaca valvar.

As causas mais comuns de infarto do miocárdio são doença arterial coronariana, fibrilação atrial e doenças valvulares cardíacas.

O infarto é uma condição na qual o músculo cardíaco morre. Isso pode ser causado por vários fatores, incluindo doença arterial coronariana, hipertensão, aterosclerose e espasmo coronariano.

Quanto mais extenso for o infarto, mais provável é que a morte ocorra. Quando o músculo cardíaco morre devido a um infarto, o fluxo sanguíneo para dentro e para fora do coração será restrito. Isso faz com que a pressão arterial e os níveis de oxigênio reduzidos em todo o corpo.

Hipertensão arterial

Outra causa comum de insuficiência cardíaca é a pressão alta que não é controlada adequadamente. Esta condição pode ser fatal se não for tratada.

Os sintomas mais comuns de pressão alta são dores de cabeça, tontura e visão turva. Os pacientes devem ser monitorados regularmente com um manguito de pressão arterial para garantir que sua pressão arterial permaneça dentro da faixa normal.

O ventrículo esquerdo é o que mais sofre com a hipertensão.

A pressão alta é um problema comum e sério para muitas pessoas. Pode causar ataques cardíacos, derrames e danos nos rins se não for tratada.

Esta doença afeta mais de 50 milhões de pessoas apenas nos Estados Unidos. É também uma das principais causas de morte em todo o mundo.

A melhor maneira de prevenir esta doença é manter a pressão arterial baixa e um estilo de vida saudável, como exercícios, alimentação saudável e não fumar cigarros ou beber álcool em excesso.

Se a hipertensão não for tratada e permanecer alta por anos a fio, o coração sofrerá a ponto de não poder mais crescer.

Imagine um elástico que você puxa o tempo todo. Eventualmente, ele começa a perder sua elasticidade e fica solto. Isso é mais ou menos o que acontece com o coração. Depois de ficar sob estresse por um longo tempo, o músculo cardíaco começa a se esticar e o coração fica aumentado e fraco.

Nesta fase de dilatação cardíaca, temos um músculo com pouca capacidade de contração e um coração que não consegue mais bombear o sangue adequadamente, passando a apresentar o que chamamos de “insuficiência cardíaca sistólica”.

Doenças das válvulas cardíacas

A doença da válvula cardíaca é uma condição na qual uma ou mais válvulas do coração são anormais. Pode acontecer com pessoas de todas as idades e sexos, mas é mais comum em adultos mais velhos.

A doença da válvula cardíaca pode causar muitos sintomas, incluindo falta de ar, dor no peito, fadiga, tontura e desmaio. Também pode causar pressão alta e insuficiência cardíaca.

Uma das causas mais comuns de doença valvar cardíaca é a febre reumática. Essa condição ocorre quando alguém tem uma infecção que se espalha para as válvulas cardíacas dos músculos ou articulações. O sistema imunológico da pessoa ataca a bactéria que está causando a infecção. As bactérias liberam produtos químicos que danificam as válvulas e as tornam com vazamento ao longo do tempo.

Sempre que uma válvula cardíaca apresentar alguma alteração, seja congênita ou adquirida durante a vida, como nos casos de endocardite ou biópsia endomiocárdica, ela pode ser substituída por uma artificial. As válvulas artificiais são feitas de materiais sintéticos, como borracha de silicone ou metal.

As válvulas artificiais substituíram as válvulas animais na maioria dos casos porque são mais duráveis e duram mais do que suas contrapartes naturais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.