Site Overlay

Mindfulness: o que é e quando utilizar a técnica?

Mindfulness: o que é e quando utilizar a técnica?

 

Mindfulness: o que é e quando utilizar a técnica?

4 / 5 ( 3 votes )

 

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

O mindfulness, ou “atenção plena” em português, tem conquistado uma variedade de públicos. É uma técnica um tanto diferente das práticas orientais de meditação, o que pode interessar quem já tentou meditar e não conseguiu.

O que é mindfulness?

Consiste na atenção ao momento presente. O praticante se concentra na respiração e sensações do corpo, nas roupas que está usando e no ambiente onde está inserido.

Ele também foca nas atividades e ações executadas durante o dia. Dessa forma, os simples atos de escovar os dentes, trocar de roupas, se alimentar, dirigir e trabalhar são feitos com maior cautela, reduzindo a possibilidade de erros.

O praticante vivencia cada momento do dia em sua plenitude. Logo, percebe os pequenos detalhes do cotidiano, os quais costumeiramente deixa passar, e as origens do estresse diário.

Hoje vivemos muito focados em nossos celulares. Em eventos sociais, é comum encontrarmos grupos de pessoas com os olhos grudados em seus aparelhos.

Enquanto estão na presença de amigos, conversam com outras pessoas ou bisbilhotam as redes sociais. A atenção que dedicam ao momento de confraternização não é plena. E a situação se repete em outros contextos.

Às vezes, a mente divaga para questões ainda não concluídas, planos para o futuro ou lembranças de acontecimentos marcantes enquanto estamos trabalhando, estudando ou cumprindo outra obrigação. Essa distração pode resultar em acidentes, erros ou na má execução de uma tarefa.

Através do mindfulness, a atenção deixa de ser dividida e passa a ficar somente no momento presente.

Quais os benefícios da técnica?

Focar somente no presente não significa só desempenhar melhor no trabalho ou no convívio social, mas, sim, viver uma vida mais feliz e livre de comportamentos neuróticos. Já que o presente é composto unicamente por ele mesmo, não é necessário se preocupar com o passado nem o futuro.

O mindfulness permite que as pessoas desfrutem de suas existências em um estado puro e autêntico.

Assim, compreendem que eventos passados não podem mais afetá-las e o futuro, como ainda não existe, também não exerce poder sobre elas. A ansiedade e o estresse, então, diminuem consideravelmente.

Com a recorrência da prática, você quebra o condicionamento automático que o leva a tomar decisões precipitadas e gratificar comportamentos negativos.

Deixar a zona de conforto, bem como identificar oportunidades e se arriscar ao abraçá-las, passa a ser mais fácil.

Entre os muitos benefícios do mindfulness, estão:

  • melhor desempenho profissional;
  • tomada de decisão mais consciente;
  • mais facilidade para identificar e compreender emoções;
  • redução de conflitos sociais no trabalho, em casa e entre amigos;
  • diminuição de erros e acidentes;
  • sensação de dias mais longos porque cada momento é aproveitado;
  • quebra do ócio oriundo da rotina diária;
  • alívio do estresse e da ansiedade;
  • promoção do autocontrole e controle da impulsividade;
  • redução de apreensões sobre o futuro;
  • maior produtividade;
  • facilidade de se desconectar de eventos e memórias negativas do passado, possibilitando também o perdão de quem já lhe fez mal;
  • vivência plena;
  • melhor qualidade do sono;
  • manutenção da saúde mental e do bem-estar;
  • promoção da tranquilidade.

Embora esvaziar a mente não seja o foco principal, é também um dos benefícios. Como o praticante aprende a pensar de forma mais consciente, focando somente no que está fazendo, deixa de sofrer com pensamentos intrusivos.

Desse modo, a mente consegue descansar e permanecemos calmos por um longo período.

Qual é a importância do mindfulness?

Ao longo do dia, diversos pensamentos passam por nossa cabeça. Alguns são influenciados por informações recebidas através de fatores externos, como conversas, programas de TV, músicas, filmes, vídeos, livros, entre outros.

Mindfulness: o que é e quando utilizar a técnica?

O excesso de estímulos geralmente causa dores de cabeça chatas ou sensação de cansaço mental no fim do dia.

No entanto, grande parte tende a ser composta por preocupações com pendências para o dia seguinte ou acontecimentos do passado, especialmente se ainda estiverem “frescos”.

O passado e o futuro são sorrateiros. A maioria das pessoas não consegue identificar quando, de fato, está permitindo que seus devaneios façam com que deixe o momento presente.

Para você compreender como esses dois elementos são intrusivos, pense em seu trabalho.

Quando você precisa executar determinada tarefa, provavelmente considera a reação e a aprovação dos seus superiores. Afinal, eles decidem quando você alcançará a próxima etapa da sua jornada profissional dentro da empresa!

Se já cometeu algum erro associado a ela, pode ficar preocupado em cometê-lo novamente e se esforçar em dobro para mostrar que aprendeu a lição.

Essa postura inconscientemente contribui para o aumento da ansiedade que, aos poucos, pode atingir níveis alarmantes.

É uma mistura de preocupação com o futuro (aprovação e apreciação dos superiores) e com o passado (medo de cometer o mesmo erro e sofrer consequências) que pode reduzir a qualidade da tarefa desempenhada.

A prática da atenção plena é ideal para viver com menos inquietação. A mente deixa de “viajar” e alimentar especulações inúteis para focar no que realmente é importante.

Ela ajuda também a gerir a quantidade de estímulos recebidos durante o dia e evitar o esgotamento. Esta é uma competência importante para ser desenvolvida na sociedade hiperconectada de hoje.

Além disso, com mais consciência em seu dia a dia, você pode encontrar dons escondidos e descobrir novos propósitos. A conexão consigo mesmo também é aprofundada com esta técnica.

Como praticar o mindfulness?

O mindfulness pode ser praticado em qualquer momento do dia e por curtos ou longos períodos, como por 5 ou 35 minutos. É a técnica perfeita para ser incorporada no tempo livre e nos momentos de descanso. Para dar início a prática, é preciso somente disposição e força de vontade já que as primeiras tentativas podem não ser tão boas.

Mindfulness: o que é e quando utilizar a técnica?

Por isso, antes de começar, estabeleça um objetivo ou propósito.

Você deseja melhorar a sua concentração, ser mais otimista ou melhorar o desempenho no trabalho? Tenha a sua intenção em mente sempre que for iniciar a técnica. Para ajudar, você pode escrever um ou mais objetivos em um aplicativo ou folha de papel.

Em seguida, vamos ver como praticar o mindfullness passo a passo!

  1. Escolha um lugar silencioso para se concentrar. Deixe a televisão desligada e o celular longe para evitar distrações;
  2. Ache uma posição confortável para se sentar ou se deitar. Os olhos podem permanecer abertos ou se fecharem. Iniciantes podem preferir os olhos abertos, fixos em um ponto do cômodo ou objeto de decoração;
  3. Foque nas sensações, como a temperatura do ambiente, o vento na pele ou o contato entre o corpo e o chão do quarto ou o colchão.
  4. Concentre-se nos movimentos corporais, especialmente no movimento do tórax e do abdômen;
  5. Deixe passar os pensamentos e as preocupações em sua mente sem se prender a eles;
  6. Quando um devaneio aparecer, volte a se concentrar na respiração sem fazer julgamentos e preencha a sua mente com sensações corporais;
  7. Repita esse processo diversas vezes até o fim da meditação.

Quando praticar o mindfulness?

Você pode praticar enquanto come, trabalha, executa afazeres diários ou faz alguma atividade de lazer. Se ainda não sabe o momento mais apropriado da sua rotina para isso ou como meditar, veja algumas dicas para incorporá-la de forma natural em sua vida:

Caminhando

Você pode sair para caminhar como forma de exercício ou manter a atenção plena enquanto anda para o trabalho, para casa ou para um evento social.

Sinta a sua respiração e o movimento dos músculos, concentre-se nos passos dados até o destino e ouça os sons ao seu redor e os batimentos do coração.

Antes de dormir

Sente-se ou deite-se na cama e respire profundamente, focando nos movimentos feitos pelo tórax. Feche os olhos e relaxe os músculos, principalmente os do rosto e do ombro, que tendem a ficar mais tensionados.

Se quiser, ouça uma música tranquila, mantras ou barulhos de chuva para ajudar no relaxamento.

Durante refeições

Identifique a textura, o gosto, o formato, o tempero e o sabor do alimento enquanto mastiga. Faça isso lentamente para apreciar o gosto e inale profundamente para sentir o aroma.

Essa técnica é muito favorável para quem tem o costume de comer rápido. Comer devagar faz com que o cérebro compreenda a sensação de saciedade e ajuda a diminuir o vício em alimentos industrializados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *