Site Overlay

Qualidade de vida e saúde mental na terceira idade: como a terapia pode ajudar?

Qualidade de vida e saúde mental na terceira idade

Qualidade de vida e saúde mental na terceira idade: como a terapia pode ajudar?

5 / 5 ( 1 vote )

 

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Ter qualidade de vida e saúde mental na terceira idade é possível sim! Como esperado, pessoas nessa faixa etária possuem preocupações, expectativas, necessidades e desafios diferentes. Para se adequar a esses aspectos, é preciso tomar certas atitudes.

O cuidado com a saúde mental e física dos idosos deve aumentar exponencialmente nos próximos anos. Até 2030, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de idosos no Brasil deve superar o de crianças.

O aumento dessa população vai demandar mais cuidados com o seu bem-estar psicológico e físico, tornando o processo de envelhecimento mais satisfatório.

Fatores que impactam a qualidade de vida e saúde mental da terceira idade

O envelhecimento impacta as pessoas de diferentes maneiras.

Não são somente as mudanças no corpo físico que afetam a saúde mental dos idosos, mas também as modificações em seus relacionamentos, número de compromissos, propósito de vida, autoestima e basicamente todos os aspectos da vida cotidiana.

Há indivíduos que não expressam insatisfação ou infelicidade com a diminuição de sua capacidade funcional nem com as transformações na aparência.

Já outros não conseguem aceitar que não possuem a mesma força física, disposição, concentração e memória de antes. Pessoas idosas muito apegadas ao trabalho também podem se sentir mal quando chega a hora de se aposentar, afastando-as de uma de suas principais fontes de prazer.

Além do mais, observar as constantes transformações sociais pode ser desgastante se você não possuir uma mentalidade maleável. Os valores, as ambições, os problemas e até os ambientes físicos, como estabelecimentos, bairros e cidades, se modificam à medida que a nova geração cresce.

Para não entrar em constante briga com o mundo, o idoso precisa acompanhar ou, pelo menos, aceitar as mudanças mesmo quando são contrárias aos ideais cultivados desde a infância. Caso contrário, a saúde mental pode sofrer com duradouros conflitos de ideias.

Outro fator relevante para a qualidade de vida e saúde mental dos idosos é o aparecimento de patologias. O tratamento, as limitações físicas causadas pela doença e o consumo de medicamentos variados podem acentuar o mal-estar na terceira idade.

Sinais de alerta para transtornos mentais na terceira idade

Embora a demência e o mal de Alzheimer sejam as condições mais temidas nesta faixa etária, não são as únicas que merecem preocupação. 

Os próprios idosos e seus familiares devem ficar atentos para a depressão e a ansiedade. Caso os mais velhos morem sozinhos ou distante dos familiares, a atenção para os sinais desses transtornos mentais deve ser redobrada.

As perguntas sobre o bem-estar e o estado de saúde e de humor podem aumentar com sutileza para não chatear os idosos. Os filhos também podem conversar com os pais sobre saúde mental na terceira idade para incentivar o autocuidado.

Abaixo, evidenciamos alguns indicativos de que é preciso aumentar o cuidado com a qualidade de vida e saúde mental dos idosos:

  • humor cabisbaixo;
  • estresse;
  • falta de interesse em sair de casa ou engajar em atividades;
  • perda de memória acentuada;
  • irritabilidade e tristeza constantes;
  • queixas sobre ausência de propósito de vida;
  • desorientação;
  • insatisfação com as mudanças causadas pelo envelhecimento;
  • aumento de dores no corpo;
  • falta de apetite, resultando em magreza extrema;
  • insônia ou dificuldade para dormir;
  • perda de energia;
  • vontade de se isolar;
  • apatia em relação aos alertas dos filhos, amigos e profissionais da saúde sobre sintomas.

Assim que a repetição desses sinais em um curto período de tempo for notada, já é possível entrar em contato com um psicólogo.

Nem todas as atitudes para ajudar, contudo, podem estar de acordo com os gostos dos idosos. É comum os pais e filhos terem perspectivas diferentes e o confronto de ideias aumentar quando os pais chegam na terceira idade. A chamada “inversão de papéis”, onde os mais novos cuidam dos mais velhos, no entanto, faz parte do ciclo natural da vida.

É possível ter qualidade de vida e saúde mental na terceira idade!

Qualidade de vida e saúde mental na terceira idade

A terceira idade não precisa ser marcada por momentos de estresse, solidão e reminiscências sobre a juventude e sonhos perdidos.

Nos últimos anos, o Brasil tem visto um crescimento no número de idosos com vida ativa e muita saúde. Esse fenômeno é a consequência do aumento da longevidade e dos cuidados com a terceira idade (embora esses ainda possam aumentar e ser aprimorados!).

Mesmo com os desafios naturais do envelhecimento, os idosos podem vencer a desmotivação e viver com mais qualidade. Os sonhos continuam mesmo após a aposentadoria ou o diagnóstico de doenças crônicas, como hipertensão ou diabetes.

Essa fase da vida pode exigir algumas modificações, as quais não devem levar ao encerramento dos objetivos de vida.

O tempo extra da aposentadoria pode ser o necessário para começar um novo negócio, graduação, projeto pessoal, hobby e viagem. Se o incômodo for com a aparência, existem tratamentos estéticos voltados para esse público – ou, quem sabe, trabalhar a autoestima possa ser a saída para livrar-se desse desconforto!

A ginástica cerebral, os jogos de raciocínio lógico e os exercícios de memória ajudam a trabalhar as funções cerebrais diante da sua redução natural. Por fim, a ginástica, hidroginástica e caminhada (exercícios físicos em geral) são os melhores remédios para as enfermidades, inclusive as mentais.

Cada fase da vida, na verdade, requer o mesmo esforço. A puberdade, o início da vida adulta, a meia idade, a idade avançada… Todas possuem características únicas e encorajam as pessoas a buscaram novas formas de viver.

A terapia pode ajudar a aumentar a qualidade de vida e saúde mental dos idosos

psicoterapia é um processo voltado para sanar os incômodos emocionais e psicológicos através de abordagens múltiplas. Basicamente, é aonde as pessoas vão para expor os seus problemas, desabafar e encontrar soluções para viver bem.

Pacientes de todas as idades são bem-vindos na terapia. Os psicólogos também são aptos a tratar uma diversidade de problemas, desde os mais simples até os mais severos.

Para os idosos, a terapia pode oferecer conforto e aconselhamento na busca por um novo propósito de vida. Questões como insatisfação com a aparência que expõe marcas do tempo e limitações físicas, bem como relacionamento distante com os filhos também podem ser solucionadas.

Esses receios comuns da terceira idade podem parecer “causas perdidas” para o idoso que os sente, especialmente se o pensamento de “a vida chegou ao fim” for presente. Os sentimentos de resignação podem acarretar uma depressão e outras condições psicológicas que roubam a alegria.

A terapia pode ajudar o idoso a compreender que é possível ter qualidade de vida e saúde mental em qualquer momento da existência humana, além de ter melhor controle de suas emoções e sentimentos.

O envelhecimento é um processo comum a todas as pessoas. Após passar uma vida de batalhas e superação, a terceira idade chega para proporcionar um merecido descanso. Essa fase mais tranquila da vida pode ser tanto um recomeço quanto um período de introspecção, onde o objetivo é conectar-se consigo mesmo.

Viver com sofrimentos emocionais e conflitos pessoais e/ou interpessoais não resolvidos prejudica o aproveitamento dela. Então, caso esteja pensando em fazer terapia, não hesite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *